5 de maio de 2005

Uma Universidade Aberta de Código Livre

Já faz algum tempo que eu venho pensando em uma forma de potencializar o desenvolvimento local de software livre. Uma das coisas que eu considero negativas é o fato de não haver uma cultura de desenvolvimento; nesse ponto, não quero dizer apenas sobre o fato de contribuir ou não código para projetos interessantes, mas o fato de que a maior parte daqueles que poderiam fazê-lo não tem nenhuma cultura de desenvolvimento de software em equipe.

Desenvolver software dentro de uma empresa já é complicado. Desenvolver software aberto, muitas vezes no tempo livre, como um hobby, é ainda mais complicado. Boa parte do tempo é gasto não com a parte tido como mais charmosa, que é a codificação propriamente dita, mas sim com a parte tida como chata: interação com outros desenvolvedores, disputas técnicas (às vezes legítimas, às vezes não), interação com usuários, e por aí vai. O gerenciamento deste ambiente exige um conjunto de habilidades específico. O próprio sucesso do Linux está fundamentado na habilidade excepcional que o Linus Torvalds tem em gerenciar uma equipe notoriamente complicada.

Deste ponto, vem a idéia: que tal uma universidade de código livre? A universidade poderia oferecer um curso de engenharia de software, com foco não no trabalho isolado, mas na dinâmica do trabalho em equipe. Todas as atividades seriam voltadas para projetos abertos. Os trabalhos dos alunos, por definição, seriam publicados como código livre. Projetos reconhecidos poderiam ser apoiados, e os alunos encorajados a dar apoio em tarefas como documentação, teste, suporte via email, entre outras coisas. Seria um curso legítimo, altamente interessante, que iria formar profissionais com uma qualificação única no mercado.

Será que é sonhar demais?

Um comentário:

fgsouza disse...

E podiam se basear em metodologias agéis como XP, quebrando de vez velhos paradigmas.